Cirurgia Plástica Facial

Otoplastia

As cirurgias para correção das deformidades de orelha (Otoplastia), principalmente as “orelhas de abano”, podem ser realizadas a partir dos 8 anos de idade, podendo ser antecipadas em alguns casos, como de crianças maiores para a idade.

Essa cirurgia pode ser realizada com anestesia local ou geral, dependendo do paciente, sendo feita com incisões atrás das orelhas, de maneira inaparente.

As duas principais alterações na orelha de abano, são o excesso de cartilagem de concha e a falta de dobra da chamada de anti hélix, além de outras alterações menos comuns, como excesso ou flacidez do lóbulo e o arqueamento da porção superior da orelha.

Essas deformidades são corrigidas de maneira bastante eficaz e natural, com a retirada do excesso de cartilagem de concha e reposicionamento das dobras da orelha com uso de fio transparente, ao invés das clássicas incisões na anti hélix, que deixavam as cartilagens com aspecto pontudo, dando aspecto artificial na orelha.

O período de pós operatório inicial dura 3 dias, nos quais é feito um curativo nas orelhas juntamente com ataduras compressivas. Esses curativos e ataduras são substituídos por curativos menores, juntamente com faixa compressiva elástica, já no 3º dia, devendo permanecer por 1 semana no total. Após esse período, é realizada a remoção plena dos curativos, permanecendo a orientação de uso da faixa compressiva, apenas durante à noite, por mais 3 semanas.

Mentoplastia

A cirurgia plástica do queixo (Mentoplastia) pode complementar a Rinoplastia em muitos casos, pois o posicionamento correto dessa estrutura no perfil facial modifica todo o equilíbrio da face, podendo melhorar a harmonia do terço inferior dela.

Esse procedimento pode ser realizado com anestesia local ou geral, nos casos de associação com a Rinoplastia.

Pode ser realizada com incisão externa, atrás do queixo ou por incisão trans oral, com posterior colocação da prótese de silicone.

O modelo e tamanho da prótese é vista e escolhida pelo paciente, juntamente com o cirurgião antes do procedimento.

Essa cirurgia tem rápida recuperação e baixo índice de riscos e complicações, por envolver região de fácil acesso e com pequena quantidade de estruturas adjacentes.

Rinoplastia

A cirurgia plástica nasal (rinoplastia) é um procedimento realizado e desenvolvido por otorrinolaringologistas de várias partes do mundo, sendo considerada a cirurgia estética facial mais complexa, devido a grande quantidade de variantes envolvida.

Nossa equipe tem grande enfoque nas rinoplastias e, após trabalhar por muitos anos com operações, re operações e correções de problemas de outras equipes, acreditamos cada vez mais, que o nariz deve ser sempre avaliado como um todo; um conjunto estético funcional e, nunca simplesmente, como elemento estético. Isso porque a respiração depende das estruturas externas e, portanto, cirurgias realizadas sem a devida avaliação funcional podem acarretar problemas respiratórios futuros.

Por isso a importância de profissionais que compreendam o nariz de maneira ampla, com expertise no assunto como o otorrinolaringologista.

Nosso objetivo nas rinoplastias é sempre o de resultados com aspecto natural e equilibrado, priorizando a melhora estética e manutenção funcional sem a descaracterização do paciente.

Nessa ultima década, as rinoplastias evoluíram bastante, nossa equipe tem utilizado técnicas de reposição cartilaginosa com fios e suturas, evitando uso de técnicas clássicas destrutivas, com grandes ressecções e remoções de estrutura. Optando sempre por procedimentos mais conservadores e modernos, com objetivo de reduzir os riscos de imperfeições e mal resultados tardios.

Anestesia

A anestesia utilizada é a geral, com indicação de anestesia local apenas para casos específicos, de pequenas alterações.

Ao contrário do que é imaginado por muitos pacientes, a anestesia local envolve um risco maior do que a geral, pelo fato de não proteger o pulmão do sangue proveniente de sangramentos nasais, podendo levar a broncoaspiração e consequente dificuldade respiratória ou pneumonia aspirativa. Por isso sempre optamos pela anestesia geral com entubação.

Técnicas

As técnicas de Rinoplastia tem evoluído constantemente, sendo que atualmente utilizamos as técnicas aberta, fechada ou delivery dependendo das características da alteração e do paciente.

Técnica aberta

Realizada com pequena incisão externa na columela do nariz, juntamente com incisões em toda margem das narinas, possibilita uma visualização ampla do nariz, sendo indicada para abordagem de ponta e dorso nasal, assim como reconstruções, re operações e narizes tortos.

É a abordagem que dá a melhor visão ao cirurgião, mas que por outro lado envolve uma incisão de pele sendo, portanto, mais agressiva do que as outras técnicas.

O período de recuperação é indolor e tem duração média de 7 dias, com a retirada dos pontos columelares no 6º dia, juntamente com a tala plástica “Aquaplast”.

O maior incomodo no período pós operatório é a obstrução nasal, associada ao inchaço facial e a rouxidão nos olhos, sintomas que tendem a desaparecer por volta de 1 semana.

Delivery

A técnica semi aberta ou delivery é realizada através das incisões na margem inferior do nariz, sem cortes externos, sendo indicada para abordagem de dorso e ponta nasal.

Essa abordagem proporciona boa exposição de ponta nasal para modificações como suspensão, afinamento e melhora de definição, além de boa exposição para correção de deformidades de ponta nasal.

Os problemas de aumento de giba óssea também são bem abordados por essa via.

O período de recuperação é de 7 dias, com remoção do “Aquaplast” do 6º dia, nessa técnica não são removidos pontos, os quais são realizados com fios absorvíveis.

Técnica fechada

A técnica fechada é realizada na parte interna do nariz, sendo menos invasiva do que as outras, mas por outro lado tem uma menor exposição das estruturas ao cirurgião, limitando a avaliação precisa de algumas estruturas, sendo portanto mais indicada para problemas de dorso nasal e pequenas correções na ponta do nariz.

As cirurgias tem tempo de recuperação inicial de aproximadamente 1 semana, com retirada de tala plástica “Aquaplast” e de suturas, quando realizadas, no 6º dia de pós operatório. Sendo que o resultado final do procedimento demora em geral 6 meses, podendo ter variações.

Nos casos de reoperações e reconstruções, o tempo de recuperação é mais longo, principalmente nos casos com colocação de enxertos de cartilagem de orelha ou de materiais implantáveis como as placas de PDS, utilizadas para dar mais sustentação em narizes com colapso ou ressecções prévias excessivas.