Dor de cabeça é um dos sintomas que mais leva o paciente ao médico

Dor de cabeça é um dos sintomas que mais leva o paciente ao médico

dor de cabeça - Gobbo

Dor de cabeça é um dos sintomas que mais leva o paciente ao médico em todo o mundo, e que existem diversos tipos de dor de cabeça. É comum recebermos aqui na clínica pacientes com essa queixa imaginando que estão com sinusite. Realmente muitos estão, mas não todos. Vamos falar dos tipos mais comuns de dor de cabeça.

Primeiramente, saiba que se você for pesquisar sobre dor de cabeça você encontrará o nome “cefaleia”. Cefaleia é a forma técnica de se referir à dor de cabeça. Outro nome que você provavelmente encontrará será “migrânea”, que é o nome técnico da enxaqueca.

A enxaqueca é a dor de cabeça mais famosa. Em alguns locais, usa-se esse nome como sinônimo de cefaleia, seja ela de qualquer tipo. Normalmente manifesta-se como uma dor de cabeça forte, com predominância em um dos lados da cabeça, indo desde a testa até a nuca, em pontadas, pulsátil, piorada aos exercícios físicos e ao olhar para luzes fortes, eventualmente causa náuseas. A enxaqueca ocorre em crises, com frequência variável. Geralmente tem um “gatilho”, algo que inicia a crise. Os gatilhos mais comuns são jejum prolongado, estresse, privação de sono, abuso de cafeína e outros remédios, e alguns alimentos (gordurosas, molho shoyu, adoçantes e outros). Ela é principalmente genética, mais comum em mulheres e pode ocorrer em quase todas as idades. Podem ter “auras”, que são alterações sensitivas que ocorrem logo antes das dores (embaçamento da visão, ver luzes piscando, etc).

O tratamento da enxaqueca pode ser feito com medicações para abortar as crises ou com medicações para evitar as crises (o que chamamos de profilaxia). Neurologistas, clínicos gerais e médicos que fazem terapia da dor são os profissionais mais indicados para o acompanhamento destes casos.

Outra cefaleia muito comum (aliás, a mais comum) é a cefaleia tensional. Como o próprio nome diz, ela ocorre pela tensão muscular na região do crânio. O local mais afetado é o músculo frontal, o que faz com que a dor geralmente ocorra na testa, bilateralmente, tipo aperto, constante. Pode ocorrer também na musculatura do pescoço, fazendo a dor irradiar para outros locais. Essa dor está muito associada a estresse e cansaço, logo pode ocorrer com qualquer pessoa. O tratamento normalmente é feito com medicamentos para abortar a crise e também com medidas não medicamentosas para ajudar no relaxamento muscular.

A sinusite também pode causar dor de cabeça. Ela se caracteriza pela inflamação da mucosa dos seios da face, que pode levar a obstrução da ventilação da face e dor. Normalmente a dor ocorre no centro da face, sob o nariz e adjacências, que piora quando se abaixa a cabeça ou se pressiona a região. Podem haver outros sintomas, como cheiro ruim no nariz, sangramento nasal, secreção nasal, tosse, mal hálito, febre e mal estar geral. O tratamento deve ser feito por especialista. Casos não tratados corretamente podem complicar ou cronificar.

A cefaleia em salvas é um tipo menos comum de dor de cabeça. Cursa com crises de dor muito intensa na região de um dor olhos, pulsátil e penetrante, de duração mais curta, que pode ser diária em alguns períodos. Devido à grande intensidade desta dor, ela normalmente é incapacitante e leva o paciento ao pronto socorro.

Outra dor de cabeça menos comum é a nevralgia. Ocorre quando um dor nervos da face (normalmente o nervo trigêmeo) fica “irritado” e reage ao toque com um estímulo doloroso e corre pela face. Na maioria das vezes, a palpação da face mostra pontos-gatilho para a dor, que costuma ser de forte intensidade.

Além destes, existem diversos outros tipos menos comuns de dor de cabeça. Cuidado, alguns casos de dor de cabeça podem esconder doenças mais graves. Por isso, se você tem dor de cabeça, procure um especialista.

“As informações aqui colocadas são de caráter informativo. Cada paciente possui suas particularidades e deve ser avaliado e tratado de forma individualizada. Se você tem algum problema de saúde, procure um médico especialista.”

Dr. Henrique Gobbo
CRM – 117688 SP