Olfato: perda parcial ou total

Olfato: perda parcial ou total

olfato

Olfato: A perda do olfato, parcial ou total (hiposmia ou anosmia), pode ser algo extremamente desagradável. Já vi alguns casos de depressão importantes em pacientes com quadros de impossibilidade total de sentir cheiros. Vamos entender como isso funciona:

A sensação do olfato acontece através da função do nervo olfatório. Esse nervo nasce na base do cérebro, logo acima do nariz e vai até o teto da cavidade nasal permear a mucosa nasal nessa região. As terminações nervosas atravessam uma lâmina óssea cheia de pequenos orifícios, chamada lâmina crivosa. Quando o ar chega na parte alta do nariz, as partículas inaladas têm contato com as terminações nervosas e temos a sensação do olfato.

Existe uma ligação estreita entre olfato e paladar. É muito comum os pacientes que perderam o olfato dizerem que não conseguem mais sentir o gosto da comida. Paladar e olfato acontecem em nervos diferentes, mas quando não se consegue sentir o aroma da comida também não se consegue saborear a comida por completo.  Aliás, essa costuma ser a principal queixa dos pacientes, mais relacionada ao cheiro da comida do que ao cheiro de perfumes.

As causas mais comuns de perda do olfato são obstrutivas ou problemas nas terminações nervosas.

As causas obstrutivas ocorrem quando o ar não consegue chegar na parte alta da cavidade nasal. As principais causas para isso são rinites, desvios de septo, sinusites, pólipos nasais e tumores nasais. A rinite causa um inchaço crônico da mucosa nasal e assim as terminações nervosas vão se perdendo em meio ao tecido inflamado. As demais causas citadas promovem uma obstrução mecânica que impede que o ar atravesse até o ponto de olfação. Todas essas causas são tratáveis.

As causas neurais são mais difíceis de tratar. Elas são aquelas que causam uma disfunção direta do nervo olfatório. Talvez a causa neural mais comum de perda do olfato seja a simples infecção viral respiratória (resfriado). Neste caso, o vírus respiratório pode acometer e machucar o nervo. Eu sei, é assustador saber que uma simples infecção comum pode evoluir para um quadro tão incômodo, mas felizmente isso é bastante raro. Após a lesão do nervo, a recuperação é bastante variável. Às vezes recupera tudo, às vezes parcialmente e, às vezes, mais raramente ainda, não recupera nada, infelizmente. Existem tratamentos que podemos utilizar para melhorar as chances de recuperação.

Uso crônico de medicações nasais como vasoconstrictores também são uma causa importante de hiposmia ou anosmia. A vasoconstricção diminui a circulação sanguínea no nariz e assim pode causar sofrimento das terminações nervosas. Aliás, o uso crônico de vasoconstrictores nasais é traz muitos prejuízos ao paciente, como trataremos futuramente em outro post.

Traumas de crânio com fratura da lâmina crivosa podem seccionar as terminações nasais do nervo olfatório. Essa é uma situação dramática e normalmente associada a outras lesões importantes de crânio. É um quadro de difícil tratamento. Da mesma forma, doenças neurológicas que acometem nervos periféricos podem causar lesões no olfatório e também cursar com perda do olfato.

Exames médicos como nasofibroscopia, tomografia de face e ressonância de crânio podem ajudar no diagnóstico. O tratamento pode surtir efeitos variados, e pode ser melhor quando mais rápido for iniciado.

“As informações aqui colocadas são de caráter informativo. Cada paciente possui suas particularidades e deve ser avaliado e tratado de forma individualizada. Se você tem algum problema de saúde, procure um médico especialista.”

Dr. Henrique Gobbo
CRM – 117688 SP