Tosse: quais as causas nessa época do ano e como evitar?

Tosse: quais as causas nessa época do ano e como evitar?

tosse

Tosse é um sintoma muito comum no dia a dia do nosso consultório. Especialmente nesses meses de tempo seco, temos recebido muitos pacientes que já tentaram diversos tipos de tratamento sem melhora do problema. É comum os pacientes trazerem dúvidas em relação a tosse alérgica, infecciosa, secundária a sinusite e outras infecções. Vou tentar esclarecer.

A tosse é um reflexo normal do organismo. Ocorre como uma forma de proteção das vias aéreas. Tossindo, nós limpamos o pulmão tanto do ar sujo quanto de secreções que podem ter se formado no próprio pulmão ou descido peno nariz e garganta. A tosse também ajuda a eliminar corpos estranhos, como no caso de engasgos, protegendo o pulmão.

Há dois tipos de tosse, a seca e a produtiva. A diferença está na presença ou não de secreção. Quando a tosse é seca, podemos usar medicações sedativas de tosse para melhorar o sintoma. Quando a tosse é produtiva, essas medicações estão contraindicadas, ou seja, não devem ser usadas. Veja, se a pessoa tosse para proteger o pulmão de uma secreção bacteriana que desce pelo nariz, por exemplo, e toma uma medicação para cortar a tosse, ela poderá desenvolver uma infecção no pulmão.

Causas comum de tosse são: resfriado, gripe, cigarro, asma, doença pulmonar crônica, doenças infecciosas de vias aéreas superiores, doenças infecciosas pulmonares, uso de medicações, alergias e problemas relacionados ao trato gastrointestinal.

Gripe e resfriado são infecções virais que acometem a árvore respiratória. O resfriado é mais localizado na região de nariz e garganta, enquanto a gripe é mais sistêmica e causa sintomas no corpo todo, como febre e mal-estar geral. Em ambos os casos, é comum que o paciente tenha um aumento na produção de secreções nas vias aéreas e isso traga tosse produtiva. No caso de infecções bacterianas das vias aéreas, como na sinusite , essa secreção tende a ser mais amarelada e mais espessa, mais difícil de ser eliminada.

No caso do cigarro, estudos mostram que a exposição à sua fumaça causa uma paralisação do sistema mucociliar, ou seja, a movimentação de pequenos cílios que temos na nossa mucosa respiratória. Esses cílios se movimentam para levar a secreção produzida na mucosa em direção à garganta, constantemente, no intuito de limpar as vias aéreas. Se esses cílios não se movimentam, as secreções ficam paradas e acumulam, trazendo a tosse.

Doenças pulmonares crônicas como asma e DPOC ocasionam tosse também devido ao acúmulo de secreção nas vias aéreas, mas nesses casos a secreção se acumula no pulmão. Se o paciente não consegue eliminar essas secreções, elas podem atrapalhar a respiração ou podem infeccionar.

Algumas medicações para hipertensão arterial, como alguns diuréticos, podem causar como efeito colateral a tosse crônica do tipo seca, sem secreção. Algumas dessas medicações são de uso frequente, como por exemplo o captopril.

Também é muito comum termos em nosso consultório pacientes com quadros de tosse crônica secundária a problemas do trato digestivo, mais precisamente refluxo faringolaríngeo. Refluxo faringolaríngeo não é a mesma coisa que refluxo gastroesofágico. O faringolaríngeo ocorre com lesão da laringe, enquanto o gastroesofágico ocorre com lesão do esôfago. Nem sempre eles estão juntos pois a mucosa do esôfago é mais resistente do que a mucosa da laringe e o refluxo pode ser mais alto ou mais baixo. O refluxo gastroesofágico está associado a hábitos como alimentar-se antes de deitar-se, ingestão de alimentos ácidos, gordurosos ou que tenham cafeína. O stress também pode causar refluxo. O diagnóstico pode ser feito através de exames específicos e o tratamento normalmente tem bom resultado.

O clima seco por si pode ocasionar tosse na população geral. O ar seco pode causar uma desidratação das secreções respiratórias e um maior acúmulo de sujeira na respiração. Essa sujeira não consegue ser limpa com a movimentação da secreção, então tossimos para tentar eliminar as secreções e a sujeira do ar. O acúmulo de sujeira também pode causar alergias respiratórias, pois essas partículas do ar trazem consigo alérgenos respiratórios.

Alguns remédios caseiros também podem ajudar. Inalação com eucalipto ou hortelã são uma boa opção para ajudar na eliminação do muco em casos mais leves. Chá de gengibre tem uma ação interessante em processos inflamatórios leves locais e ajuda a hidratar o paciente. O mel também parece ter um efeito de melhora da tosse crônica, talvez por um efeito lubrificante ou talvez por diminuir a irritação local. Para Prevenir a tosse nessa época do ano não fume, tome vacina da gripe todos os anos, reduza a sua exposição a poeira e agentes inalatórios irritantes, lave as mãos frequentemente, beba bastante água (2 litros ao dia), ingira alimentos ricos em água (melão, pera, melancia) e use umidificadores de ar a noite em casa.

Se você está com tosse persistente, procure um médico especialista.

“As informações aqui colocadas são de caráter informativo. Cada paciente possui suas particularidades e deve ser avaliado e tratado de forma individualizada. Se você tem algum problema de saúde, procure um médico especialista.”

Dr. Henrique Gobbo
CRM – 117688 SP